?

Log in

No account? Create an account

strange form of life

Recent Entries

.

View

Navigation

May 29th, 2018

Desabafo

Share
Foda-se, há pessoas mesmo ridículas. Temo que seja uma doença crónica.

May 24th, 2018

(no subject)

Share
Can't you just fix it for me, I'll pay you well
Fuck, I'll pay you anything if you can end this
Hello, I love you, will you tell me your name?
Hello, I'm good for nothing - will you love me just the same?

May 15th, 2018

(no subject)

Share


Yours is the only version of my desertion that I could ever subscribe to
that is all that I can do.

May 1st, 2018

(no subject)

Share


Baby, why'd you have to run?
looking after number one
Baby, why'd you have to go?
why'd you have to phone?
somethin' you're afraid to show?
is there someone else you'd rather phone?

April 17th, 2018

Just trust.

Share


I know places we can go, babe
coming home, come unfold, babe.

April 3rd, 2018

(no subject)

Share


Não penses que perdoei
só por te abraçar assim
nem vás pensar que chorei:
foi a vidraça por mim.

March 19th, 2018

(no subject)

Share
A última cena de I, Tonya é forte: Tonya cai no tapete do ringue, com a boca ensanguentada, atordoada. Abre os olhos, respira, fala e levanta-se. A luta ainda não acabou. É a metáfora perfeita para a vida até ali retratada. Para todos os murros que literalmente levou.
Convenhamos, todos nós vamos ao tapete de quando a quando, e nos levantamos quando temos força para isso. Mas aquela resiliência, aquela não é para todos. Tonya tinha uma motivação: patinar. E parece-me que muitas vezes nos falta uma verdadeira motivação para andar por cá.
Qual é a vossa motivação? E, por favor, não respondam viver e/ou sobreviver. Viver não é suficiente, gente. Ninguém, depois de cair inúmeras vezes, se levanta do tapete por sobrevivência. Quando no tapete até se sobrevive bem.




webstatistics

March 12th, 2018

2018: moving out!

Share
O primeiro e maior objectivo para este ano parece estar feito.
2018, continua a ser bom para mim e eu serei boa para ti.

March 11th, 2018

(no subject)

Share


And not a thing in this world to do
except be alone in it.

February 20th, 2018

C'mon, I'm just tired.

Share


Even though it hurts, even though it scars
love me when it storms, love me when I fall
every time it breaks, every time its torn
love me like I'm not made of stone.

February 19th, 2018

(no subject)

Share






E se depois de nós os dois
me agiganto.

February 14th, 2018

My funny valentine.

Share

February 5th, 2018

(no subject)

Share


My faith is sick and my skin is thin as ever
I need you alone
goodbyes always take us half an hour
can't we just go home?

January 29th, 2018

(no subject)

Share
O meu amor diz-me
pelo amor de deus
não escrevas poemas
que suspiram e palpitam
e ressoam com a música
das tuas coxas
etc.
Fica só como és:
uma rapariga amarga em verso
e eu trato do resto.


Eunice de Souza

January 28th, 2018

(no subject)

Share


You and walking in the sand
and you're the perfect man
you're the perfect blend.

January 17th, 2018

(no subject)

Share
A memória é uma deusa vingativa que se delicia em confundir os mortais. A minha exige que recorde quem não fui e poderia ter sido. Não é fácil.
Recordamos melhor o que decidimos fazer, por isso mesmo de o termos feito. Esquecemos em geral o que decidimos não fazer, por não o termos feito. Tendemos, erradamente, a valorizar mais a primeira do que a segunda decisão, quando esta última pode ter sido da maior importância, maior do que qualquer decisão que tenhamos cumprido.
A nossa vida é uma trama feita do que fizemos, por inércia ou vontade, e do que não fizemos, por decisão ou incapacidade. Tenho poucas dúvidas: o que escolhi não fazer teve mais valor do que o que escolhi fazer. Nem que não fosse porque é mais difícil dizer não do que dizer sim.


in Lembra-me de mim, Pedro Paixão

January 14th, 2018

(no subject)

Share


I'm a question of faith
I'm a faded mind
I'm what calls you away
I'm what leaves you in time.

January 2nd, 2018

(no subject)

Share


Scrape your knee: it is only skin.

January 1st, 2018

(no subject)

Share


I have dreams of a first man and a first lady
singing to us from the sea
so I'm gonna keep you in love with me for a while.

December 18th, 2017

(no subject)

Share


I don't know what we're waiting for
people like us don't ever switch
our videos from scene to scene.

December 12th, 2017

(no subject)

Share


And every now and then, I think about
when you’ll die, babe
there’s a fall in my head
it floods what you said into the room, babe
I don’t belong in the desert
yes, I can see it, take me home, babe
say again, this place
here is your princess
and here is your horizon.

December 6th, 2017

É a vida.

Share
Mais vale ou desgosto ocasional ou a felicidade ingénua?

Oh... Não sei. [risos]

A pergunta na verdade não se pode pôr, porque a pessoa não escolhe ter um desgosto ocasional. Um desgosto quando acontece é contra a nossa vontade. Tropeçamos e partimos uma perna; a nossa namorada manda-nos à fava; descobrimos que o saldo na conta do banco está negativo; a fruta que tínhamos lá em casa está podre…

Há milhões de percalços que não podemos escolher. As coisas caem-nos em cima. Há quem ache que a vida é horrorosa e um mar de lágrimas, que é só desgraças. Eu não acho. Acho que a vida é difícil, é dura, e sobretudo põe-nos muito à prova. Para sobrevivermos de uma maneira interessante, ou seja, sem sermos uns vegetais — há aquelas pessoas que são uns autênticos vegetais: estão ali, vão para ali... — se a pessoa realmente tem interesse pela vida e por ter um papel, qualquer que seja, evidentemente que isso é sempre um desgaste e um desgosto, há muita pressão e é muito difícil uma pessoa passar por isso tudo, passar por esses anos todos de vida e não chegar ao fim amarga ou ressentida.

Acho que o objetivo da vida é conseguir passar por ela sem ser atingido no seu âmago: sofrer aquilo que tem de sofrer, não tem outro remédio, tomar decisões certas e erradas, porque toda a gente as toma, mas chegar ao fim sem muitas cicatrizes. Quando vejo um velhinho, desses que não são vegetais, que está feliz com a vida que teve, esse é que conseguiu realmente resolver o problema, porque para as pessoas que ficam amargas e ressentidas a vida tornou-se um tormento.

O difícil não é lidar com os outros, é lidar com nós próprios.


Daqui

December 4th, 2017

(no subject)

Share


This constant longing for what's gone.

November 27th, 2017

I was a man of great sympathy when I loved you, baby
but tonight all my sympathy is gone.


(porque até a simpatia tem limites.)

November 19th, 2017

(no subject)

Share


Even though I’m falling apart
I want Sunday love in my heart.
Powered by LiveJournal.com